terça-feira, 25 de maio de 2010

Pensando sobre a Solidão e o Silêncio


Dia de dessas andei meditando sobre o silêncio e a solidão que quase sempre o acompanha, fico a refletir sobre alguns pontos em relação a solidão que as vezes me encontro, uma amiga cruel, que está sempre a nos acompanhar, esta conosco quando colocamos a cabeça no travesseiro, quando sentamos no sofá para ver TV, quando nos levantamos pela manhã e tomamos um banho correndo e um café as pressas para ir a mais um dia de trabalho. Alguns a vêem como uma inimiga mortal, um desafeto, mas pensando bem, talvez ela não seja assim tão cruel, talvez nós que não a entendemos, estamos tão ocupados tentando despistá-la que deixamos de usufruir da sua presença.
Nesse mundo em que vivemos as pessoas estão sempre buscando ocupações, tentando andar em meio a pessoas, buscando amigos, colegas, festas, movimento, muita gente. E isso tudo não passa de um meio de tentar fugir da solidão que as assombra, solidão essa que não as deixa viver, que incomoda, que machuca, que faz doer a alma. E criam fugas, criam mascaras, o cara legal que tem muitos amigos, a menina sexy que está sempre rodeada de amores, de olhares que a consomem.
Durante a luz dia, todos esses são pessoas felizes, companheiros de muita gente, mais e na escuridão da noite? E quando o luar chega e o silencio toma conta da cidade? E a quando as festas cessam? E quando os colegas e os amores se vão? São nesses momentos que percebemos quão vazios somos e quanto nossa vida depende de algo que muitas vezes nem sabemos o que é. São nesses momentos que os piores pensamentos nos rondam, que os desejos mais carnais e inteligíveis são nossos companheiros, nesses momentos que criamos fugas, compulsões, loucuras, como se fossemos outra pessoa quando a noite chega, e as máscaras que usamos durante o dia começam a cair uma a uma, mais o que não percebemos é que nessa hora só estamos sendo nós mesmo.
Mas porque temer a solidão? Porque temer o silêncio da noite? Por que temer as noites em claro? Tem dias que tudo que se precisa é de silêncio e solidão, e é na Solidão que conhecemos quem nós somos! Poderíamos os ter como aliados, momentos de silêncio são tão raros em meio à bulha do dia, é uma grande oportunidade de nos conhecermos, e quem sabe de conhecermos um pouco a Deus. Como diz o Salmista: “O Deus, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água”; Deus nos conhece, sabe dos nossos medos, de nossos piores pensamentos, conhece nossos desejos. Nossa fome e sede por barulho, por companhia, no fundo é apenas fome e sede de Deus, e Ele entende isso muito bem, muito melhor do que nós. Era na madrugada que o medo assombrava o salmista e o fazia perder o sono, e eram nesses momentos que tudo que ele tinha era a presença de Deus, e o desejo da sua carne era o Senhor, é isso que precisamos entender, nossa fome, nossa sede, nosso medo da solidão e do silencio, são apenas sintomas da nossa falta de Deus.
A Solidão não é uma inimiga, antes disso, nossa amiga, nos aproxima de Deus, e seu silêncio nos permite ouvir a Sua voz. Mas somos incompletos por natureza, pedintes, sempre desejosos e por isso sempre existirá certo vazio, certa solidão, certo silêncio na nossa alma, mais esse será o lugar perfeito para a presença de Deus, como diz a letra uma linda canção: “No Silêncio da minh’alma existe um lugar onde só Você pode chegar...”

Nota: salmo 63:1

8 comentários:

  1. Oi Tassi, gosto de ler o que você escreve, e tb acredito que a solidão nos aproxima de Deus transformando a angústia da nossa alma em paz! Coloquei vc entre os blogs amigos, tá bem?
    Abraço da Ci com muito carinho

    ResponderExcluir
  2. Tassi, tem selinhos pra vc lá no blog, vou ficar feliz se vc aceitar! Beijos da Ci

    ResponderExcluir
  3. Obaaa selinho... mais como faço pra pegar??? Obrigada e Deus te abençoe!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Tassi, fiquei muito feliz com sua visita, obrigada por seu carinho! Você pode pegar todos se quiser, tá bem? É só salvar em minhas imagens e depois faz uma nova postagem no seu blog, qualquer dúvida pode perguntar, abraço carinhoso da Ci, fique com Deus e me desculpe pela demora

    ResponderExcluir
  5. Apaixonante...
    É na solidão que o homem pode ouvir e sentir a Deus...
    De forma calma e reflexiva...
    A agitação na maioria das vezes desfigura a essência de Deus...
    Parabéns, continue assim, sempre dependente daquele que pode preencher cada espaço de forma verdadeira...
    Bjs...
    Pr Luiz...

    ResponderExcluir
  6. Aurélio Cechinel Rodrigues21 de junho de 2010 22:23

    AH, como é díficil aceitar a solidão como minha amiga! não sei se posso neste momento.
    Mas, mesmo que eu não a queira ela teima em estar comigo, estar em mim.Queria mesmo era me livrar dela, só que não posso, ela tem raízes profundas. É estranho perceber que apesar de estar em meio a tanto barulho, tanta gente, em meio ao caos dessa cidade, sou mais só do que nunca. É engraçado perceber tbm o quanto tenho aprendido com isto. Aprendi que Deus nos leva ao silêncio e a solidão pra que possamos ouvi-lo melhor.Percebi que, enquanto olho em volta e celebro o barulho, sei cada vez menos de mim, não me conheço.Compreendo, enfim, que a solidão pode ser algo bom e minha amiga mesmo.
    Bom , só me resta, meio contrariado, convidá-la para passar dias agradáveis comigo.kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. É amigo... ela é inevitavel, mais perceba que há sim algo de bom na sua presença...

    ResponderExcluir
  8. www.elielpoeta.blogspot.com18 de julho de 2010 18:50

    Então... è porque a solidão é o pedaço oculto da gente mesmo. A sabedoria está em discernir a diferença entre ficar sozinho e ter solidão. Assim, estar só e em silêncio é salutar para alma e para a adoração. Solidão é falta de significado... E isso é dorido!
    Paz e cheiros para vochê!
    Eliel E. Morais

    ResponderExcluir